quinta-feira, 14 de março de 2013

SEM SALÁRIOS, SEM AULAS; A GREVE CONTINUA

Infelizmente, com a ausência de explicações, nenhuma confiança pode ser construída. Além disso, a confiança é uma atitude que depende de atos que lhe correspondam. Neste momento, o pagamento dos salários de docentes e funcionários seria este ato. Porém, como tem postado no Blog, docentes e discentes, as condições estruturais dos campi, novamente, voltam a deixar a desejar. Sem infra-estrutura adequada nossos estudantes compreenderão que não há interesse em acolhê-los bem. Registramos aqui que os docentes querem receber os novos estudantes que chegam à UGF e os que conosco já desfrutam de producente convívio acadêmico. Sabem nossos estudantes que somos docentes e pesquisadores interessados na produção do conhecimento e na prestação de serviços à comunidade do entorno por meio de extensão universitária. Porém, o sucateamento que tem se levado a todos os nossos setores, desde a infra-estrutura material, até nossos ambientes de ensino e pesquisa, incluindo a Biblioteca, é de exclusiva responsabilidade da Mantenedora Galileo Educacional. Que saibam os estudantes que os docentes desejam, tanto quanto eles, o melhor ambiente para a condução do ensino, da pesquisa e da extensão, atribuições da vida acadêmica e universitária. Entendemos que essa tarefa da mantenedora é precípua e não pode ser postergada. Sem manutenção dos docentes e funcionários, nem manutenção e aperfeiçoamento do ambiente acadêmico, o que está sendo mantido? Nos solidarizamos aos pais de alunos e aos discentes que têm cumprido com seu propósito de uma educação de qualidade, pagando suas mensalidades em dia, e compreendemos sua indignação com o atraso do início do ano letivo que tem ocorrido por responsabilidade da Galileo Educacional, Saibam nossos estudantes e os pais dos alunos que a Reitoria se comprometeu, em se solucionando essa questão aguda, por meio do Conselho Universitário, e junto com a comunidade acadêmica, rever o calendário acadêmico para que todos os estudantes possam ter a realização do período da melhor forma possível.

60 comentários:

  1. Primeiramente gostaria de parabenizar todos os presentes à assembleia e em particular a conduta dos alunos e da mesa diretora.
    A Galileo realmente enviou um representante fidedigno aos seus princípios, o Sr. Marcelo Guimarães, pois:
    a) Este Senhor chegou atrasado à reunião, demonstrando fidedignamente o DESCOMPROMISSO com prazos;
    b) Este Senhor não sabia responder pergunta alguma sobre a situação financeira da instituição a qual se diz diretor, demonstrado fidedignamente o DESCOMPROMISSO com a administração;
    c) Este Senhor gastou a maior parte do seu tempo contando “historinhas’ sobre sua pessoa ao invés de tratar objetivamente o tema pelo qual se propusera a falar, demonstrado fidedignamente o uso de DISCURSO EVASIVO e EMBROMADOR;
    d) Este Senhor não teve a menor competência para representar uma Instituição ao qual se diz diretor, demonstrando fidedignamente a DESQUALIFICAÇÃO do quadro de diretores da GALILEO, tomado como exemplo do Sr. Cantieri.

    Finalmente colegas, vamos nos manter unidos para dar um BASTA nesta forma de administrar que assombra a nossa Instituição.

    Só voltaremos mediante o depósito INTEGRAL dos salários em nossas contas. Não podemos mais acreditar em promessas.

    ResponderExcluir
  2. Sem salários, sem aulas... Sem boleto também?
    Isto está parecendo uma luta de gladiadores, de um lado o Gladiador professor, do outro o Gladiador Galileu e por último o Gladiador Aluno, mas este último luta sem espada e escudo, só sofre dano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Concorcodo com vc Bruno. Apesar do meu respeito pela situação dos professores, meu suado dinheiro vai pro ralo. Muito falam em transferência, mas eu não tenho dinheiro pra bancar transferência pra Veiga. A UC que seria mais barata é do mesmo grupo, ou seja, encontra-se na mesma situação. A Galileo realmente não respeita as partes envolvidas. Pois é uma administração completamente incapaz. No meu trabalho, se há algo que eu tenho certeza que é muito pra mim, eu tenho a humildade de falar "passa pra outro". Muito legal vc galgar coisas maiores, mas o "mais legal ainda" é ser humilde de passar a bola quando está fora de sua alçada.

      Excluir
    3. Isso mesmo Carina, sua colocação é perfeitamente apropriada. Na verdade eu vejo uma situação confortável para os dois lados, os professores em greve em algum momento receberão salário mesmo sem ministrar aulas, por parte da Galileu ou por parte da justiça trabalhista. A Galileu, continua recebendo as mensalidades pois mesmo indignados há em nós o sentimento de COMPROMISSO de cumprir nossas obrigações. Entendo que os professores lutam por algo que é de direito mas há se ter bom senso. No final sabemos muito bem o que vai acontecer...
      Opção 1 : As aulas se iniciarão e perderemos conteúdo por causa do pouco tempo.
      Opção 2 : Todo o conteúdo será ministrado na correria, e caso você não tenha aprendido a matéria, não tem problema ! Paga mais um semestre e terá outra chance. .... se não houver outra paralisação é claro.

      Excluir
    4. Precisamos parar de pagar as mensalidades.. e somente retornar a fazer os pagamentos quando tivermos a situação solucionada..

      Excluir
  3. Uma pergunta, enquanto houver essa greve haverá algum professor que irá dar aula? Ou a greve é em modo geral? Ou seja todos os professores sem êxito ?

    Obs: torço para vocês, como aluno viso o melhor para os professores, e quanto melhor para os professores melhor para os alunos.

    ResponderExcluir
  4. Prezado Bruno,

    na verdade sua comparação é equivocada, pois nesta arena os alunos possuem a maior arma de todos que é justamente o pagamento das mensalidades. Pois vocês podem e devem cobrar junto a mantenedora o fim desda situação incabível que a própria criou. E eu aproveito e pergunto a você, você trabalharia sem receber? Você trabalharia de graça tendo família e compromissos a saldar? Desculpe, mas eu acho que não, sendo assim como os seus professores podem ir lecionar se os mesmos não tem seus salários para mante-los. A única hora que temos força como professores é quando estamos no período letivo, caso contrário não temos força de negociação, tendo em vista o descaso que a Galileo teve com os professores no período de férias onde ficamos sem receber.
    Então lhe peço que pense e reflita, seus professores (que não entraram em greve ao bel prazer) são os culpados pela situação ou a Galileo pelo descaso com os corpos docente e discente e com o próprio campi é o perpetuador do problema.
    Alunos e professores devem e precisam estar unidos para que possamos resolver esse problema com a mantenedora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe msn06s mas não preciso pensar e refletir para decidir sobre esta questão, simplesmente não admitiria trabalhar para uma empresa ou qualquer instituição que desde 2011 me deve qualquer quantia referente ao meu trabalho. Neste momento me lembro do estimado capitão Nascimento - Tropa de Elite (filme), quando ele diz : Pede pra sair! Respondendo a sua pergunta, digo que jamais passaria por alguma privação ou submeteria minha família a algum desconforto esperando por qualquer empregador, Eu resolveria isso oferecendo meu talento e dedicação a quem merece. Mantenho minha afirmação de que estamos desarmados nesta arena e a maior arma, se existe, está na mão dos professores. Estão insatisfeitos com seu empregador? Peçam todos demissão, procurem um empregador digno e lutem por sua causa na justiça do trabalho. Não pretendo de forma alguma ser agressivo ou insensível a causa de vcs mas este é o meu ponto de vista. Não espero ninguém mudar o que eu mesmo posso mudar.

      Excluir
    2. Concordo com vc, eu nao trabalharia sem receber, se fosse comigo tb iria procurar outro lugar pra trabalhar e corria atras dos meus atrasados na justiça e partia pra uma vida nova. numa empresa nova.

      Sei lá, os professores de lá parecem até concursados, não largam o osso

      Excluir
    3. Acredito que ninguém gostaria de trabalhar sem receber, mas imagina você que esta, faz muito tempo no mesmo oficio, você que trabalha naquilo que realmente gosta, que ama seu trabalho. Sou aluno novo, mas aposto que muitos docentes dedicaram sua vida a Gama Filho, ao ensino e sim, eles amam seus alunos, quando se tem paixão naquilo que faz não se larga simplesmente, não se pula fora do barco, não é só dinheiro o que esta em jogo, é toda uma vida dedicada a compartilhar conhecimento.

      Imagina todos os professores pulando fora do barco, ai sim não iriamos ter mais aula, poderia ser declarada a "falência" da universidade ou você acha que o mercado de trabalhos esta cheio de "monstros" do conhecimento para substituir todos? A situação é que tem que ser normalizada, salario tem que cair, eles tem bocas e contas para pagar.

      Excluir
  5. Tá na hora de trabalhar também né, senhores ! A proposta da Galileo foi boa. Se vocês não confiarem nela nunca, nunca poderão reaver os atrasados.
    Nós alunos queremos aula. Basta à Galileo, basta à docência Marxista.

    ResponderExcluir
  6. Quando esse barco afundar, quem estiver dentro vai se dar mal...sinceramente o melhor a fazer é pular fora.

    ResponderExcluir
  7. Concordo com o senhor, Professor. Mas, reconheço que é preciso uma união maior dos professores, inclusive, para conseguirmos um apoio maior da comunidade discente. Infelizmente, muitos de nossos colegas aderem à greve, mas simplesmente não comparecem à Universidade nem mesmo nos horários de suas aulas. Isso também é um desrespeito, só que praticado com os alunos e com os outros colegas professores. A greve deve ser de ocupação, até porque o benefício que estamos querendo - de ter nossos salários pagos integralmente - será para TODOS os docentes, tanto aqueles que não se manifestam, quanto aqueles que se manifestam. A hora é de união! Inclusive, devemos deixar claro aos alunos que eles não estão "perdendo" aula nem conteúdos, pois as aulas serão repostas, não é mesmo? Há que se ter um calendário alternativo tal como aconteceu com as greves das Federais e Estaduais. Falta fornecer mais informações a todos. Porque quando um aluno se expõe dizendo ser contra a greve e que ele está pagando seu curso, portanto, ele quer aula, além da possível imaturidade própria da idade, o outro motivo é que eles pensam que não terá reposição de conteúdo. É claro que vão.O atraso do período não é bom para ninguém, mas essa é a arma que nós temos. E os alunos são tão fortes quanto nós, entretanto, as armas são outras. Uma sugestão: por que não pagarem em juízo? Ou seja, os alunos podem continuar pagando suas mensalidades, mas condicionam esses pagamentos aos pagamentos dos professores. Ou seja, eles pagam, mas a Galileo somente recebe tais pagamentos caso os alunos estejam tendo as aulas. E para que os alunos tenham aulas, os professores devem, estar recebendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse lance de pagar em juízo seria muito bom, mas vocês não dão luz alguma, que tal fazerem um grande post aqui falando sobre isso, poderia ajudar e MUITO inumeros alunos que trabalham pra pagar suas mensalidades. É um absurdo despeito, tanto quanto para os professores quanto para os alunos afinal quem acredita na credibilidade de uma greve de rede particular, isso não tem explicação. Boleto vem, e nada é resolvido.

      Excluir
    2. NUNCA VI CRIANÇA DE ANTIGO PRIMARIO NÃO TER AULAS EM COLEGIO PARTICULAR POR ESTAR EM GREVE ,ISSO É UMA VERGONHA!!!!!!!!

      Excluir
  8. Queridos alunas e alunos, professoras e professores, funcionários e funcionárias,

    Este é um ano de celebração: há 10 anos, os professores da UGF não recebem FGTS. Alguns dos senhores e senhoras não sabiam ler, outros não pensavam ainda na possibilidade de entrar na faculdade, muitos sonhavam com uma política nacional para aumento de oportunidades no ensino superior. O Fies estava em seu segundo ano e o Prouni nasceria no ano seguinte. Ainda assim, o cenário educacional no Rio de Janeiro só se agravou. Continuamos, no entanto, juntos enfrentando esses desafios. Embora ainda seja preta, há sinais de fumaça apontando novos tempos...

    A UGF e a UniverCidade convivem com um ciclo interessante: a cada semestre que passa, menos alunos entram e mais professores e funcionários saem – ou “são saídos, dado o desprestigio institucional crescente. Isso a matemática do ensino fundamental já explica: se entravam 400 alunos de Medicina ao ano e não havia recursos (ou estes eram "desaparecidos") para pagamento de custos básicos – como salários – é difícil que alguém creia que só com 170 novos alunos por ano o quadro será diferente. Repitam esse raciocínio para cursos menos badalados, Relações Internacionais, por exemplo. Se, neste curso, entravam 160 por ano, com 35 alunos para 2013.1 o quadro é, no mínimo, “não favorável”. Por mais fiéis que sejamos, é difícil crer nas capacidades milagrosas deste são paulo apóstolo ou nas teorias cosmológico-financeiras deste galileu galilei.

    Acreditávamos nas palavras, promessas e pregações de que teríamos melhores condições de ensino, tanto no plano pedagógico, como no plano estrutural: apoio à pesquisa, Centro de Excelência em Saúde e Esporte, ensino de qualidade. Tudo isso à custa do FIES, do Prouni, de tributação diferenciada, do FGTS e do INSS dos professores e, claro, das mensalidades dos nossos queridos alunos.

    Além do sentimento de solidariedade - e por que não de Piedade - há algo mais concreto em comum entre professores, alunos (e ex-alunos), funcionários e governo: somos todos credores da UGF e da UC, isso mesmo, credores. Para que nós recebamos o que nos é devido – salário, ensino e profissionais capacitados -, é preciso que as instituições continuem funcionando. Obviamente, é preciso que elas funcionem diferentemente da forma com que vem acontecendo há pelo menos 10 anos.

    Se os gestores de sempre insistem na falta de transparência de sempre, se aos problemas de sempre são dadas as soluções de sempre, algo tem de mudar. Palavras não têm mais valor; promessas, termos de ajustamento de conduta e decisões judiciais são flagrantemente ignorados; o desrespeito é desmedido. Uma intervenção do MEC vem sendo apontada como opção, mas só será bem recebida se o ensino de qualidade
    e os empregos de professores e funcionários forem garantidos. É hora de somar, de unir.

    Ontem houve assembleia com os professores da UGF, hoje haverá atos dos alunos no mesmo horário em que haverá a assembleia dos professores; no dia 18, mais outra manifestação na Piedade. Minha sugestão é que a unidade se demonstre logo hoje, dia 14, às 18h na entrada do prédio do Sinpro: professores, alunos, funcionários, representantes do MEC, SEEDUC e CPI do Ensino Superior.

    “Se você pensa que vai
    Fazer “da gente”
    O que faz com todo mundo há 10 anos
    Acho bom saber que a Cidade e a Gama Filho
    Vão ter que mudar...

    Daqui pra frente,
    Tudo vai ser diferente
    Vocês vão aprender
    Que pra gente
    Suas palavras não valem mais
    Nada, Nada...” Roberto Carlos (adaptado)

    ResponderExcluir
  9. Então alunos faremos o que?
    Já pagamos metade do semestre, continuaremos a pagar para não receber pelo serviço pago?

    Seria ótimo se os alunos também entrassem em greve e parar de pagar a instituição, pois pagamos metade do semestre e eles não conseguem pagar aos docentes.

    Temos que fazer algo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os alunos precisam tomar uma atitude!!! Estamos perdendo dinheiro!!!!!!
      Estamos pagando por um serviço que não está sendo prestado. Um absurdo.

      Excluir
  10. Os alunos dos últimos períodos de Arquitetura se juntaram para o pagamento em Juízo.
    Muitos estão pedindo transferência, mas infelizmente para mim não há essa opção, já que deveria estar me formando nesse semestre.
    Me coloco a pensar se de fato essas aulas vão voltar, concordo e apoio plenamente os professores, mas nós alunos não estamos cumprindo com a nossa parte, temos que nos unir e procurar uma solução para os NOSSOS problemas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mariana iria entrar agora no curso de Arquitetura já paguei 3 mensalidades e encontrei uma verdadeira crise na instituição. Não sei se espero para ver o que acontece se tento pegar meu dinheiro de volta pois acho q nao consigo me transferir para outra instituição já que estou no primeiro periodo. e caso conseguisse qual seria? UNISUAM, ESTACIO? Nao conheço nenhuma delas. Gostaria que alguem me ajudasse pois como eu outros alunos que ingressaram agora estou assustados e preocupados.

      Excluir
    2. Oi Luanna,
      Sinceramente acho que deva esperar e observar o futuro.
      Não tenho nada do que reclamar da minha formação, muito pelo contrario só agradecer aos excelentes professores que tive.
      Não acho UNISUAM nem ESTACIO boas opções, aqui no rio de particular só conta GAMA e PUC, e por experiência optaria pelo nosso mil vezes.
      Por mais difícil que seja temos que nos manter calmos e não sermos precipitados!

      Excluir
    3. Obrigada Mariana era o que precisava saber. Vou aguardar pois queria muito estudar na GAMA FILHO.

      Excluir
    4. Sou formada na UNISUAM e não tenho nada a reclamar da Instituição.

      Excluir
  11. Assembleia Geral Estudantil - Universidade Gama Filho
    Segunda, 18 de março de 2013 as 18:00hs
    Auditório do MR, Oitavo andar
    Nessa assembleia, será decidido sobre o pagamento em juízo, e outros assuntos de nosso interesse.
    COMPAREÇAM....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PAREM DE FICAR SÓ ESBRAVEJANDO PELA INTERNET!!! SE MOVIMENTEM!!!!
      ESTIVE PRESENTE EM TODAS AS ASSEMBLEIAS DA ADGF, ESTOU PROCURANDO AVANÇAR EM QUESTÕES DE INFLUÊNCIAS QUE NOS AJUDEM, ESTAREI NA ASSEMBLÉIA DOS ALUNOS, ENTRE OUTRAS!!!!!

      COMPAREÇAM SEGUNDA-FEIRA E VAMOS FAZER ESSA ASSEMBLÉIA NÃO CABER NAQUELE AUDITÓRIO!!!!!! OBRIGADO PELO LEMBRETE JAQUELINE!!!

      Excluir
  12. Bom eu falo por min, não pago nenhuma mensalidade enquanto não for resolvida essa situação eu como muitos outros já pagamos 3 mensalidades e até agora nada de aula, só volto a efetuar qualquer pagamento após o início das aulas, MOVIMENTO SEM AULAS SEM MENSALIDADE.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito Bruno, vamos fazer isso. Todos juntos somos fortes.

      Excluir
  13. Jaqueline

    Essa assembleia tem que ser bem divulgada para que o máximo de alunos possas comparecer e decidirmos nossa situação, os professores estão fazendo valer o direito deles, também temos que fazer valer o nosso! E o fim do mes já tá próximo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está no facebook, na UGF - Engenharia, estamos tentando divulgar ao máximo, mas posso te dizer que temos mais de 400 alunos que comparecerão na assembleia. Se puder, ajude a divulgar também.

      Excluir
  14. Eu acho um absurdo o que esta acontecendo,a Galileo precisa pagar aos professores e cumprir com os seus deveres.Apoio a iniciativa da greve,é um direito dos professores. Mas não são só os professores e funcionários prejudicados,nó alunos também estamos sendo.Afinal estamos sem aulas.Esse é meu primeiro ano na Gama Filho,não sabia que estava ocorrendo esse problema financeiro.Eu realmente não sei o que fazer,se eu espero até que isso se resolva eu procure outro lugar.Desde já não sou contra a greve,pelo contrário,acho corretíssimo. Minha "raiva" é da Galileo que não quita o que deve. Nós alunos também devemos nos mobilizar,com certeza!

    ResponderExcluir
  15. Estamos ganhando espaço e evidência. Temos que precionar a Galileu de todas as formas. Cada um faça o que puder.Vamos entrar em contato com o Proteste Já do CQC. Todos nós, vamos entrar em contato com eles e explicar a história toda. Será mais pressão pra cima desses bandidos.Já entrei em contato, mandei foto e vídeo. Quanto mais gente mandar, melhor será. Também mandei mensagens para o Twitter do MEC e de pessoas influentes que podem ajudar.JUNTOS SOMOS FORTES!

    ResponderExcluir
  16. Após a assembléia de ontem, a situação aparenta não ter luz no fim do túnel! (Caso não haja nenhuma intervenção)
    Fui a faculdade ontem para a assembléia e cheguei ao oitavo andar, a vontade foi de chorar, pois, ao ver a situação da instituição com gesso quebrado, falta de iluminação no andar, descaso, falta de manutenção, e etc...
    Creio que a vontade de poucos não irá prevalecer sobre a de muitos que querem a reestruturação da UGF.
    Precisamos de intervenção do MP e do MEC urgente! TODOS estão sendo prejudicados, seja pela falta de salários e pelo adiamento do sonho de muitos, a formatura.
    Triste ver esse cenário, onde que o governo quer que o país cresça e o PIB aumente, mas deixa situações como a que está acontecendo sem nenhuma intervenção.
    Deus seja Conosco!

    ResponderExcluir
  17. Se eu já não tivesse pago as mensalidades de janeiro, fevereiro e março/2013...poderíamos fazer os pagamentos diretamente aos professores.
    Seria lançado as notas nos sistemas normalmente e só faltaria o diploma disponibilizado pela UGF.

    ResponderExcluir
  18. Estamos cansados de escutar abobrinhas, agora vai ser a nossa vez de falar!!! Compareçam a assembléia dos alunos na segunda dia 18 as 18 hrs no mr oitavo andar

    ResponderExcluir
  19. Temps que ter em mente a necessidade de apoiarmos nossos professores. Apesar dessa greve ter começado porreinvidicações trabalhistas, tambem entra no pacote a nossa dignidade de alunos e de consumidores. Temos uma universidade sucateada, sem estrutura, que não nos respeita... Nesse momento, nos separarmos dos nossos mestres apenas enfraquecerá o movimento e nos tornará levianos. Se ainda como alunos somos desunidos e desleais, que profissionais seremos? Sou favoravel ao deposito judicial, mas principalmente, sou favorável a manutenção da greve até que a situação dos docentes e funcionários seja resolvida. Precisamos estar alinhados...

    ResponderExcluir
  20. Prezados companheiros alunos, sou calouro e comecei meu primeiro dia de aula com uma alegria imensa, depois de estar afastado dos estudos por longos 12 anos. Escolhi a UGF por se tratar de uma instituição muito conceituada e não esperava encontrar uma estrutura tão pouco manutenida. Salas de aula sem ar condicionado e algumas com ventiladores que nem funcionam. Apesar disso, tive e tenho a convicção de que estes professores que hoje lutam por seus direitos trabalhistas tem totais condições de nos prestar o serviço de ensino com a qualidade a qual procuro. Nossa situação é muito complicada mas não devemos em hipótese alguma deixar de apoiar os mestres nesta luta. Hoje somos aprendizes, muitos já tem ou já tiveram seus empregos e sabem o que é ter de se unir contra uma elite opressora que detém o poder e o capital. Devemos ter um mínimo de paciência e aguardar o desenrolar das negociações. A única forma de ajudar é manter nossas mensalidades em dia.

    ResponderExcluir
  21. Tá na hora de trabalhar também né, senhores ! A proposta da Galileo foi boa. Se vocês não confiarem nela nunca, nunca poderão reaver os atrasados.
    Nós alunos queremos aula. Basta à Galileo, basta à docência Marxista.
    Tá na hora de trabalhar também né, senhores ! A proposta da Galileo foi boa. Se vocês não confiarem nela nunca, nunca poderão reaver os atrasados.
    Nós alunos queremos aula. Basta à Galileo, basta à docência Marxista.
    Tá na hora de trabalhar também né, senhores ! A proposta da Galileo foi boa. Se vocês não confiarem nela nunca, nunca poderão reaver os atrasados.
    Nós alunos queremos aula. Basta à Galileo, basta à docência Marxista.
    Tá na hora de trabalhar também né, senhores ! A proposta da Galileo foi boa. Se vocês não confiarem nela nunca, nunca poderão reaver os atrasados.
    Nós alunos queremos aula. Basta à Galileo, basta à docência Marxista.
    Tá na hora de trabalhar também né, senhores ! A proposta da Galileo foi boa. Se vocês não confiarem nela nunca, nunca poderão reaver os atrasados.
    Nós alunos queremos aula. Basta à Galileo, basta à docência Marxista.
    Tá na hora de trabalhar também né, senhores ! A proposta da Galileo foi boa. Se vocês não confiarem nela nunca, nunca poderão reaver os atrasados.
    Nós alunos queremos aula. Basta à Galileo, basta à docência Marxista.
    Tá na hora de trabalhar também né, senhores ! A proposta da Galileo foi boa. Se vocês não confiarem nela nunca, nunca poderão reaver os atrasados.
    Nós alunos queremos aula. Basta à Galileo, basta à docência Marxista.
    Tá na hora de trabalhar também né, senhores ! A proposta da Galileo foi boa. Se vocês não confiarem nela nunca, nunca poderão reaver os atrasados.
    Nós alunos queremos aula. Basta à Galileo, basta à docência Marxista.
    Tá na hora de trabalhar também né, senhores ! A proposta da Galileo foi boa. Se vocês não confiarem nela nunca, nunca poderão reaver os atrasados.
    Nós alunos queremos aula. Basta à Galileo, basta à docência Marxista.
    Tá na hora de trabalhar também né, senhores ! A proposta da Galileo foi boa. Se vocês não confiarem nela nunca, nunca poderão reaver os atrasados.
    Nós alunos queremos aula. Basta à Galileo, basta à docência Marxista.
    Tá na hora de trabalhar também né, senhores ! A proposta da Galileo foi boa. Se vocês não confiarem nela nunca, nunca poderão reaver os atrasados.
    Nós alunos queremos aula. Basta à Galileo, basta à docência Marxista.
    Tá na hora de trabalhar também né, senhores ! A proposta da Galileo foi boa. Se vocês não confiarem nela nunca, nunca poderão reaver os atrasados.
    Nós alunos queremos aula. Basta à Galileo, basta à docência Marxista.

    ResponderExcluir
  22. Caros professores, queiram também trabalhar !
    Exigem respeito da Galileo mas não possuem esse mesmo respeito para com os alunos que verdadeiramente querem estudar !
    Se a situação é ruim para vocês, também está ruim para nós. Mudei de longe para realizar meu sonho de cursar medicina, chego aqui e encontro essa palhaçada bilateral !
    Mais respeito, por favor.

    ResponderExcluir
  23. Caro ectobruto,
    Você deveria pedir respeito aos administradores da Galileu, por não pagarem os docentes, ou ao MEC, por permitir que a Gama passe por esta situação.
    Nós professores não aceitamos a proposta da Galileu, primeiro pq é absurda. Afinal de contas não iremos trabalhar meio período para recebermos meio salário. Em segundo lugar, pq a Galileu não teve a decência de enviar alguém que soubesse explicar a sua proposta.
    Não sou professora da Medicina, mas acredito que os professores deste curso merecem o respeito que você exige deles.
    Converse com seus colegas de curso e veja a real situação da medicina da Gama.
    O pagamento integral de nossos salários atrasados é uma de nossa reivindicações, mas queremos também um ambiente digno para nós professores trabalharmos e vocês alunos aprenderem.
    Uma instituição de qualidade não se faz apenas com professores, mas com uma comunidade acadêmica unida.
    Não somos seus inimigos, somos aliados nessa luta. Então junte-se a nós.

    ResponderExcluir
  24. Cara Silvana,
    Pela proposta, o salário será no final das contas integralizado. Segundo, de fato não eximi a culpa da Galileo, só acho que existem mais responsabilidades sendo emitidas. Os alunos como clientes são no final das contas os mais prejudicados. Por último, não sejamos utópicos, a Galileo não irá atender a todas as reivindicações da docência !
    Sei que não são inimigos dos discentes. Só me posiciono contrário à inflexibilidade dos professores.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  25. Cara Silvana,
    Pela proposta, o salário será no final das contas integralizado. Segundo, de fato não eximi a culpa da Galileo, só acho que existem mais responsabilidades sendo emitidas. Os alunos como clientes são no final das contas os mais prejudicados. Por último, não sejamos utópicos, a Galileo não irá atender a todas as reivindicações da docência !
    Sei que não são inimigos dos discentes. Só me posiciono contrário à inflexibilidade dos professores.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  26. Pode ter certeza que essa minha opinião não é singular. Muitos compartilham dessa opinião !

    ResponderExcluir
  27. Caro Ectobruto,
    Sei que pela proposta enviada pela Galileu, até o final do ano todos os salários estariam pagos. Mas você consegue explicar como a Galileu, que diz que não tem dinheiro para nos pagar pode em março e abril pagar 50% de jan e 50% de fev, ou seja, um salário integral, e depois de abril e até agosto apenas meio salário? E como em agosto, magicamente, pode pagar 1 salário e meio?
    Não estamos sendo inflexíveis, apenas não somos burros.
    Na verdade o que a Galileu quer é que o período se inicie e termine de qualquer maneira, garantindo assim que vocês estudantes continuem pagando as mensalidades.
    Te garanto que nenhuma das promessas de melhoria no campus será feita, o que inclui um local para as aulas práticas de medicina.
    Não é a primeira vez que a Galileu nos promete algo e não cumpre, eles tem feito isso a muito tempo.
    Não estamos pedindo que todas as reivindicações sejam atendidas para voltarmos a sala de aula. A condição para voltar as aulas é apenas o pagamento integral de nossos salários.
    Não vejo inflexibilidade nenhuma nisso.

    ResponderExcluir
  28. Na verdade existiam outras reivindicações além dos salários, por parte dos senhores professores.
    Não me entenda mal, tudo o que eu quero é o melhor para os docentes e para a nossa universidade !
    Quanto a mantenedora pagar um salário e meio no segundo semestre, não vejo mágica. Como é de conhecimento público, exposto ontem mesmo na rádio CBN, a Galileo de fato passa por dificuldades financeiras. Querer que a empresa arque instantaneamente com todas as pendências é a meu ver ingenuidade, com todo respeito.
    Novamente reitero que quem sairá, permanentemente, prejudicado é o conjunto dos discentes. Tudo está sendo muito unilateral. Principalmente entres os calouros, os professores não encontram muito respaldo na manutenção da greve !

    ResponderExcluir
  29. A todas as manifestações compareci, sempre me posicionando contra os abusos cometidos pelo Grupo Galileo. Mas chega um hora que os professores também têm de ter bom senso ! Salário em dia é um direito sim. Mas até em federais problemas similares ocorrem, ainda em magnitude muito maior !
    Negociar é preciso. Basta de greve !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca os professores das Universidades Federais ficaram sem receber salários.
      Prezado aluno, me diga como pagar as contas (colégios dos meus filhos, alimentação, etc...? Falta de bom senso? De quem aluno?

      Excluir
    2. Ja pensou em procurar emprego em outro lugar? se eu trabalho numa empresa e ela não me paga, processo ela e vou embora procurar outro lugar pra trabalhar.

      Como ja paguei 3 meses, vo esperar pra estudar esse período. porem no próximo vou procurar outra faculdade, ugf já era, ta falida, toda hora tem greve, meio do ano vai ter outra quando a Galileu nao cumprir com a proposta, não vo ficar perdendo minha vida e dinheiro aqui, vo trocar o duvidoso pelo certo, gosto muito da ugf, mas do jeito q anda não dá!!

      Excluir
    3. Não percam o foco o importante é todos nós alunos irmos na segunda-feira na assembleia e resolver a nossa situação que estamos pagando sem ter aula.
      Esse é o direito que os professores tem, vamos correr atrás dos nossos....

      Excluir
  30. Ector, discordo em partes de sua opinião, quando voce compara a greve da UGF com as de Universidades Federais e Estaduais, pois, nas federais os professores acham injusto receberem apenas 5 digitos de salários (que coitadinhos) falam que trabalham muito para receber por exemplo R$ 10.000,00. Enquanto na UGF professores lutam para receberem seus salários, acho mai que justa essa greve, porém, acho injusto os alunos serem onerados da forma que estao sendo, pagando e não tendo suas aulas, acha que devenos nos impor, perante a Galileu da seguinte forma, se eles não tomarem providencias em relação ao que está acontecendo NÃO PAGAREMOS MAIS AS MENSALIDADES!, UMA EMPRESA VIVE A BASE DE LUCRO, E QUEM DA LUCRO PRA ELES SOMOS NÓS! TEMOS O PODER SIM, ESTAMOS ARMADOS COM A ARMA MAIS FORTE DE TODAS! SOMOS A FONTE DE RENDA DELES! SEM AGENTE A GALILEU NÃO EXISTE! BASTA NOS IMPORMOS!

    ResponderExcluir
  31. Caro Leo,
    Entendo a sua colocação em relação a procurar outro emprego, mas alguns professores dão aula na Gama a mais de 20 anos e pedir para sair, como disse um outro aluno, é pedir para perder muito dinheiro.
    Mesmo que o prof. entre na justiça, vai demorar anos para conseguir seu dinheiro. Prova disso são os prof. demitidos no final de 2011 e que até agora não receberam nada.
    Sem contar que se todos os professores tomarem essa atitude vocês também ficaram sem ter aula, afinal de contas, como ter aula sem professores?
    Você pode dizer que a Galileu contrataria mais professores... mas quem aceitaria trabalhar nessas condições? Com certeza não seriam Mestres e Doutores como os atuais professores.
    Para você ter uma ideia da situação, na segunda ouvi uma coordenadora dizendo que está precisando contratar prof., mas não consegue pq ninguém quer.
    Então, o que fazer? Desistir ou permanecer lutando? Eu prefiro lutar.

    ResponderExcluir
  32. Não acho que precisa radicalizar ! Os professores não precisam se demitir, só precisam também pensar um pouco no lado dos alunos.
    Vejo que o iLeo como eu se posicionou também contrário à posição dos nossos docentes, não estou sozinho em minha posição.
    A questão é que de fato a Galileo está errada. Mas os senhores mestres precisam também saber negociar. Argumentam que a mantenedora não cumpre o que diz. Então nunca poderão aceitar uma proposta dela,pois ela pode não cumprir.
    Além disso, a mídia está dando bastante destaque a essa situação na Gama Filho ! Não acho que a Galileo iria sujar ainda mais o seu no me descumprindo o cronograma de pagamentos.
    Os senhores docentes têm sim seus filhos para alimentar, assim como nosso pais também têm a nós para alimentar. Além disso, pagam essa mensalidade altíssima para que a gente não tenha aula e fique vendo um disputa autoritária de duas partes.
    Obrigado pela atenção. Basta de greve !

    ResponderExcluir
  33. Não acho que precisa radicalizar ! Os professores não precisam se demitir, só precisam também pensar um pouco no lado dos alunos.
    Vejo que o iLeo como eu se posicionou também contrário à posição dos nossos docentes, não estou sozinho em minha posição.
    A questão é que de fato a Galileo está errada. Mas os senhores mestres precisam também saber negociar. Argumentam que a mantenedora não cumpre o que diz. Então nunca poderão aceitar uma proposta dela,pois ela pode não cumprir.
    Além disso, a mídia está dando bastante destaque a essa situação na Gama Filho ! Não acho que a Galileo iria sujar ainda mais o seu no me descumprindo o cronograma de pagamentos.
    Os senhores docentes têm sim seus filhos para alimentar, assim como nosso pais também têm a nós para alimentar. Além disso, pagam essa mensalidade altíssima para que a gente não tenha aula e fique vendo um disputa autoritária de duas partes.
    Obrigado pela atenção. Basta de greve !

    ResponderExcluir
  34. Colegas discentes, que absurdos são esses que eu tenho visto postado? Sim, esta greve prejudica nossas formaturas, nossos planos, nossos tantas coisas... mas daí pedir que docentes antigos ou novos troquem de emprego, abandonem sua luta por dignidade trabalhista, isso é puro egoísmo!!! Também pago minhas mensalidades, é faço isso como todos nós, com certo sacrifício também, mas nunca passaria por minha cabeça pedir que meus professores abrissem mão de suas reivindicações, que são justíssimas. Que tal nos colocarmos em seus lugares, pensar na falta que seus salários fazem, no conforto que deixou de existir para seus familiares? A melhor solução é permanecermos unidos a eles, sem nunca esquecermos que essa briga é nossa também, ou alguém já esqueceu o sucateamento dos prédios, dos banheiros fechados, sem sabonetes e papel higiênico, da falta de estrutura das unidades, isso também nos atinge... Aceito que cada um tenha sua opinião, mas nos afinarmos com o discurso da Galileu nos idiotiza e nos faz crueis com aqueles que, nada mais são, do que vítimas e reféns desse grupo que se diz educacional. Onde esses docentes encontrarão trabalho, nessa época do ano? Vocês abririam mão de anos de direitos trabalhistas, claro que não, afinal, estão olhando apenas para seus próprios umbigos... Tenho certeza que quando a Galileu acenar com uma proposta razoável e verdadeira, nossos mestres retornarão, teremos as devidas reposições... mas o momento agora é de mantermos a calma e, principalmente o apoio a essa categoria que teve seu principal direito espoliado, o direito a sobrevivência... Gostaria de não ver mais essas abobrinhas egoístas postadas, não quero sentir vergonha de fazer parte do grupo de alunos da Gama Filho.

    ResponderExcluir
  35. Realmente é uma situação muito desagradável da Galileu,mas creio que a administração não é da conta dos alunos.
    Pago minha mensalidade em dia para não ter problemas e dores de cabeça.Como bom pagante não interessa muito menos é de minha conta ou culpa a falta De pagamento aos professores.tremenda falta respeito com todos.
    Espero somente está semana para uma solução caso contrário estarei procurando meus direitos judiciais.

    ResponderExcluir