quarta-feira, 22 de julho de 2015

ATENÇÃO: RECUPERAÇÃO JUDICIAL - ADMINISTRADOR JUDICIAL RE-NOMEADO, SEMINÁRIO E ASSEMBLEIA ADIADOS

Prezados funcionários e professores da UGF;

O PROCESSO DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL TEVE A ALTERAÇÃO DA NOMEAÇÃO DO ADMINISTRADOR JUDICIAL.

O NOVO ADMINISTRADOR JUDICIAL, JÁ NOMEADO, CHAMA-SE GUSTAVO BANHO LICKS.

O ESCRITÓRIO DELE É NA AV. RIO BRANCO, 143/ 3º ANDAR, TELEFONE: 25060750

A NOMEAÇÃO SERÁ PUBLICADA NOS PRÓXIMOS TRÊS DIAS. O QUESTIONAMENTO DOS VALORES, CONSTANTES NAS CARTAS, PODE SER FEITO ATÉ 15 DIAS APÓS A PUBLICAÇÃO DA NOMEAÇÃO.

OS PROFESSORES E FUNCIONÁRIOS, DEMITIDOS ANTES DE 2014, E QUE NÃO RECEBERAM SEUS DIREITOS, SE TIVEREM INTERESSE NA RECUPERAÇÃO JUDICIAL COMO MEIO DE RECEBER AS DÍVIDAS TRABALHISTAS DEVEM PROCURAR O ADMINISTRADOR JUDICIAL COM A INDICAÇÃO DOS VALORES QUE TENHAM PERCEBIDO EM JUÍZO OU COM A EXIGÊNCIA DO CÁLCULO DOS VALORES PELA GALILEO.

A Assembleia de Credores da Recuperação Judicial deverá ocorrer em novembro. A Galileo prefere que o Seminário de Esclarecimento da Recuperação Judicial ocorra próximo à assembleia. Assim, não haverá o Seminário no dia 23 de julho.

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Lista de Credores aposta ao Processo de Recuperação Judicial da Galileo

Prezados ex professores e funcionários da UGF;

A lista de credores é parte do processo de recuperação judicial e se encontra online no site do TJERJ: http://portaltj.tjrj.jus.br/documents/10136/1709988/relacao-credores.pdf

Aqui, também, disponibilizamos por meio do link abaixo:

Lista de Credores com Valores Indicados pela Galileo

PLANO DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL DA GALILEO

Companheiras e companheiros;

Segue aqui o link para ser analisado pelos que foram professoras, professores e funcionários da UGF o Plano de Recuperação Judicial da Galileo. Este plano foi enviado pela Galileo, por intermédio do Senhor Jorge Monteiro. É um dos elementos em preparação para o seminário de esclarecimento, proposto pela Galileo, como um dos meios de encaminhar o pagamento das dívidas que aquela instituição possui.

Link: PLANO DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL GALILEO

segunda-feira, 8 de junho de 2015

ATENÇÃO EX PROFESSORES E FUNCIONÁRIOS DA UNIVERSIDADE GAMA FILHO

Companheiras e companheiros;

O descredenciamento da UGF e da UC, e o exercício de má administração daqueles gestores nos deixaram sem nenhum tipo de conclusão de nossos contratos e pagamentos das devidas verbas rescisórias. Recentemente, a Galileo Educacional teve êxito no processo de RECUPERAÇÃO JUDICIAL.  Diante disso, os gestores da Galileo Educacional, segundo eles, com intuito de viabilizar os procedimentos devidos, marcou uma reunião com ex-diretores da ADGF e com alguns professores da UGF, tendo, também, realizado o mesmo com os professores da UC, anteriormente, e, segundo informaram, o fariam com os funcionários.

O objetivo da reunião foi informar que com o ganho de causa da RECUPERAÇÃO JUDICIAL se estabelece um processo para o ressarcimento de dívidas e retomada de negócios. O primeiro passo seria a informação aos credores das dívidas. O Juiz estabelece um conjunto de ADMINISTRADORES JUDICIAIS. Segundo eles, estes administradores enviariam para todos os funcionários e professores cartas com o valor das dívidas. Ainda segundo eles, qualquer discrepância de valores, que tenha sido dada por execução judicial anterior ou posterior à carta, será paga conforme a execução judicial. Para que os pagamentos das dívidas trabalhistas e outras sejam efetuados, eles elaboraram um PLANO DE NEGÓCIOS. Este plano deverá ser apreciado por uma ASSEMBLEIA DE CREDORES. Para que esses passos sejam dados, a Galileo propõe um Seminário de Esclarecimento, com professores e funcionários.

Segundo eles, o plano de negócios prevê a venda de terreno no Recreio, com valor estimado ao redor de 750 milhões de reais. A dívida trabalhista, segundo eles, gira ao redor de 250 milhões de reais.  O plano prevê o reingresso deles no cenário educacional, até mesmo com a reconstrução de uma Cidade Universitária neste terreno do Recreio dos Bandeirantes, com 20% do valor do mesmo.

Os interessados em participar deste seminário deverão se manifestar por meio de e-mail para adgf001@gmail.com ou diretamente para o Prof. Ronaldo Louro

O Seminário está proposto para o dia 23 de julho de 2015, 15h, no Centro do Rio de Janeiro, em  local que será informado posteriormente.

Segue abaixo o número do processo de execução judicial e informação sobre desaproporiação do Hospital Piedade.





quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

2014 se vai... com muitos danos para docentes e funcionários da UGF

O findar de 2014 deixa um saldo negativo para a educação superior carioca e, por extensão, nacional. O erro do descredenciamento da UGF, que tinha IGC 3, com cursos com IGC 5, como o de História, vários pesquisadores com fomentos das agências governamentais e uma Escola de Medicina com dois mil alunos, deixou consequências dramáticas para os docentes e funcionários da IES. Havia alternativas, a intervenção era uma possibilidade de ação, que já havia sido efetivada no caso de outras instituições, ou, até mesmo, como preconizado pelos reitores das universidades federais do Rio de Janeiro, a federalização da IES. Porém, a mercantilização da educação, que observa apenas as relações entre Estado-Mantenedora-Clientes (Alunos e Pais de Alunos), retirando da equação educadores e funcionários da educação; além de desconectar a responsabilidade do Estado com a função social da Universidade, engendrou a medida do descredenciamento. O resultado é uma espécie de anuência estatal à irresponsabilidade adminstrativa dos gestores, de Márcio André Mendes Costa, que recebeu dos filhos do Ministro Gama a IES e as debêntures dos fundos Petrus e Postalis, até Adenor Gonçalves dos Santos, que fez uma operação de destruição da instituição, que poucos administradores conseguiriam. Houve professores e funcionários que tiveram suas relações pessoais desestabilizadas, perderam casas, veículos... a saúde. A aprovação na Alerj para a desapropriação do campus da Piedade deveria ser vista, pelo Governador Pezão, como uma possibilidade de minimizar o dano à sociedade fluminense, criando a possibilidade de uso de um parque educacional para o atendimento aos cidadãos em preparação para o ingresso especializado no Mercado de Trabalho e o exercício crítico da cidadania. Entretanto, para que isso se converta em apoio aos docentes e funcionários, somente ocorreria vinculando desapropriação e execução judicial das causas trabalhistas - o que parece ser pouco provável. Enfim, o MEC não cumpriu o seu papel de regulador da educação superior, Mercadante, Paim e José Messias sucumbiram aos ditames do Mercado, para o qual os debilitados devem sucumbir. Uma instituição que existia desde 1939 foi extinta, sem mais. Alunos peregrinam ainda atrás de documentação, muitos perderam os cursos e desistiram da educação superior. Centenas e centenas de funcionários e docentes permanecem desempregados na educação superior, pessoas que dedicaram suas vidas à formação de profissionais muito bem qualificados e cidadãos críticos foram desprezadas pelo MEC, e tiveram seus direitos aviltados pelos "donos do negócio", dos quais o último responsável é Adenor Gonçalves dos Santos, que tem responsabilidade que se estende, também, aos Gama e ao Levinsohn. Por isso, lamentamos igualmente o malefício gerado aos docentes, funcionários e estudantes do Centro Universitário da Cidade, para quem 2014 também não foi um bom ano. Esperamos que as ações judiciais, até mesmo criminais, iniciadas pela CPI das IES privadas, desenvolvidas pela ALERJ, bem como as ações trabalhistas, logrem sucesso.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Feliz Natal, docentes e funcionários da UGF

Chegamos ao Natal de 2014. Para funcionários e docentes da UGF é ainda motivo de preocupação. Grande quantidade de companheiras e companheiros permanecem desempregados. O uso da transferência assistida para a contratação de docentes teve efeito reduzido sobre o impacto provocado pela decisão errada do descredenciamento, como punição à má administração dos gestores, desde a família Gama e Levihnson, passando por Márcio André Mendes Costa a Adenor Gonçalves dos Santos, e seus prepostos nas direções executivas da inescrupulosa Galileo Educacional.  O erro do MEC foi apostar em desvencilhar-se de uma responsabilidade fundamental: cuidar da educação! Desistiu da respnsabilidade de itervir e optou pela negligência do descredenciamento. Docentes e funcionários da educação não contam em uma concepção mercantilizada da educação. Educação não é mercadoria, é direito. De qualquer modo, devemos ter em mente que é mais um renovo, mais um Natal, mais fôlego para nossas lutas, esperanças e sonhos em contribuir para a radicalização da democracia, a construção de conhecimentos e aprendizagens significativas, que possam tornar melhor e sustentável a sociedade e o mundo no qual vivemos. Nossas ações na justiça hão de alcançar o sucesso merecido, e, quem sabe, o governo estadual decidindo desapropriar o terreno da UGF em Piedade, crie condições de saldar as dívidas trabalhistas para conosco. É tempo de avançar com a metáfora do Menino Deus, que vem em um mundo no qual sofre a injustiça da perseguição dos inocentes e avança como aquele que indica que não há justiça sem misericórdia, sem que as entranhas do coração nos façam enternecer e amar, desbragadamente, em favor da Vida. Feliz Natal!

sábado, 2 de agosto de 2014

INFORMAÇÕES SOBRE ALGUNS (D)EFEITOS DO DESCREDENCIAMENTO DA UGF

O descredenciamento foi anunciado em janeiro de 2014. Até o momento o MEC mostrou seu total abandono dos docentes e profissionais da educação. Ainda há uma grande parcela desempregada. Nenhuma medida de apoio a esses docentes e técnicos administrativos foi encaminhada pelo Ministério da Educação.

Por meio do Sinpro-Rio, após a efetivação por meio de telegrama da dispensa dos professores, o jurídico tem encaminhado processos individuais de professores para as interpelações e exigências judiciais do pagamento dos direitos trabalhistas. O Sinpro-Rio conseguiu um acordo com a Justiça do Trabalho que se compromete a ter celeridade nos casos da UC e UGF. Vale destacar que a Comissão de Educação Superior, do Sinpro-Rio, tem acompanhado com diligência esses processos.

O conjunto dos alunos que usou a transferência assistida, em todos os cursos, em especial na Medicina e Engenharias, está com problemas com a sua documentação, tendo dificuldade em expedir históricos, o que traz problemas para a conclusão de seus cursos. Os que se transferiram para outras universidades, que não participaram do consórcio realizado pelo MEC têm sofrido as mesmas dificuldades. Problemas especiais têm ainda os que eram de cursos como, por exemplo, Letras espanhol, que nenhuma instituição assume ter tomado tal responsabilidade.

Dia 7 de julho foi divulgada notícia que a Galileo Educacional estaria procurando securitizar os imóveis da UGF para saldar dívidas e reabrir os negócios... Será? Ver notícia:

Galileo Educacional tenta reabrir Gama Filho e Univercidade I

sábado, 19 de julho de 2014

LANÇAMENTO DA CHAPA SINPRO AÇÃO E LUTA, 19 JULHO, CAARJ, 15H

Sinpro: Ação e Luta terá o lançamento oficial da Chapa, hoje, 19 de julho de 2014. Será às 15h, na CAARJ/OAB - Av. Mal. Câmara, 210, Centro. 

Contamos com tod@s lá, compareçam e prestigiem com o apoio de vocês.


quarta-feira, 9 de julho de 2014


APOIO À CHAPA SINPRO AÇÃO E LUTA

PREZADOS DOCENTES DA UGF: COMPREENDENDO QUE A LUTA TRAVADA NA UGF É PARTE DA LUTA DO SETOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR, COMPREENDENDO QUE O SINPRO-RIO É O ESPAÇO SOCIAL PARA AVANÇARMOS COM ESTA LUTA, ENTENDENDO QUE O SINPRO-RIO, NA GESTÃO DO PROF. QUÊDO TEM CONTRIBUÍDO COM ESTA LUTA, RESOLVEMOS APOIAR E PARTICIPAR DA CHAPA SINPRO-AÇÃO E LUTA. SOLICITAMOS A TODOS OS DOCENTES QUE CONSIDERAREM LEGÍTIMA ESTA ATITUDE O APOIO E O VOTO PARA A CHAPA SINPRO AÇÃO E LUTA. COMO? 

- RESPONDAM AO E-MAIL ENVIADO

- CURTAM A PÁGINA DO FACEBOOK DA CHAPA

Sinpro Ação e Luta

- SOBRETUDO, PARTICIPEM DAS ELEIÇÕES DIAS 12, 13 E 13 DE AGOSTO!!!!

domingo, 29 de junho de 2014

Processo seletivo na Estácio de Sá, aberto até 6 de julho

Prezados ex-docentes da UGF;

A Universidade Estácio de Sá está com processo seletivo aberto, e as inscrições podem ser realizadas até o dia 6 de julho.

O link para o Edital é: http://portal.estacio.br/media/4468662/unesa_rio%20de%20janeiro_ext_2014.2.pdf

Por meio dele, pode se acessar o formulário para inscrição on line. Há uma tabela com indicativo de oportunidades, sem número de vagas.

Atenciosamente;

Direção ADGF

terça-feira, 3 de junho de 2014


Sinpro-Rio tem audiência com Vice-Presidência do TRT-RJ

O Sinpro-Rio participou, na manhã do dia 28 de maio, de uma reunião com a vice-presidente do TRT/RJ, desembargadora Maria das Graças Cabral Viegas Paranhos. Na ocasião, o presidente do Sindicato, professor Wanderley Quêdo, apresentou à desembargadora a problemática dos professores dispensados do Centro Universitário da Cidade (UniverCidade) e Universidade Gama Filho (UGF).
O sindicalista fez um relato sucinto do sofrimento desses professores, há meses sem receber seus salários e com aviso prévio desde de abril, mas sem perspectiva de receberem suas verbas rescisórias, visto que até o momento o grupo Galileo Educacional não agendou as homologações no Sindicato. Wanderley também destacou, durante a reunião, o significativo volume de processos trabalhistas, em tramitação nas diversas Varas da Justiça Trabalhista, envolvendo o grupo Galileo. Ele solicitou também que a Vice-Presidência analisasse um procedimento que pudesse agilizar os andamentos processuais.
Além do presidente do Sinpro-Rio, participaram da reunião os diretores Marcio Fialho; Francisco Brossard, que também é representante da Associação Docente da Gama Filho; Ricardo Oliveira, representante da Associação dos professores da UniverCidade; o também diretor do Sindicato, Fernando Linhares; além do deputado estadual Paulo Ramos, responsável pelo agendamento da reunião.

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Campanha salarial dos docentes: Sinpro-Rio


Algumas informações sobre os desdobramentos da Audiência Pública, 21 de maio de 2014

Instada pelo Sinpro-Rio, após reunião com ADGF e ADOCI, e convocada pelo Dep. Paulo Ramos (PSOL), que convidou Robson Leite (PT), que foi relator da CPI das IES Privadas do Rio de Janeiro, ocorreu aos 21 de maio de 2014, na ALERJ, a Audiência sobre o desemprego de funcionários e docentes da UGF e da UC, como decorrência do infeliz descredenciamento promulgado por Jorge Messias, secretário da SERES/MEC. Participaram da audiência Sinpro-Rio, o Sindicato dos funcionários administrativos escolares, representantes dos alunos da UC e da UGF, ADGF e ADOCI, representantes da Estácio de Sá, da Veiga de Almeida, além de vários docentes da UGF que se fizeram presentes. Foram observados vários problemas decorrentes do desemprego gerado, a iniciativa das IES do Consórcio em absorverem os professores, tendo, até mesmo, ultrapassado os indicativos da SERES no Edital, com concentrações. Isso tem implicado numa imensa maioria de funcioniários e docentes ainda desempregados. Em relação aos estudantes, ainda há situações de estudantes fora de sala de aula, porém, as duas IES do Consórcio absorveram 9,7 mil alunos, sem, com isso, ter absorvido a maior parte do corpo docente das universidades descredenciadas. Há problemas com relação à documentação dos alunos, à efetivação de cenários de ensino (sobretudo para a Medicina), problemas para os alunos de Odonto na UVA, dentre outras questões. Foi encaminhada uma reunião entre Sinpro-Rio e Unesa para negociar contratações de docentes, vários encaminhamentos foram propostos. Posteriormente socializaremos mais informações.

terça-feira, 20 de maio de 2014

________________________________________________________


A AUDIÊNCIA DA ALERJ AMANHÃ, ÀS 10 HORAS, SERÁ NA SALA 311 DO PRÉDIO PRINCIPAL.
VAMOS COMPARECER EM MASSA. É PRECISO MANIFESTAR A SITUAÇÃO PRECÁRIA EM QUE FICARAM OS PROFESSORES E FUNCIONÁRIOS DA UGF E DA UC.

____________________________________________________________________________________