quarta-feira, 8 de janeiro de 2014


13 comentários:

  1. MEC, DESLIGA OS APARELHOS !!!
    DESCREDENCIA ESSE LIXO PFV !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Seu burro,

    se descredenciar vc vai ficar uns 3 anos sem seus documentos para transferência e quando conseguir, vai reprovar em um monte de matérias por não estar mais ligado ao conteúdo.
    E ainda, ter os documentos com 2 (ou mais) anos faz com que vc tenha menos isenções ainda em outras instituições, pois tem IES que não libera isenções em determinadas disciplinas importantes feitas em mais de 4 semestres atrás.

    Vai ser mais rápido vc começar outra graduação do zero.

    É isso que vc quer, seu idiota?

    Então se matricula logo em outra faculdade e não enche mais o saco aqui no blog.

    Burro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MEC, DESLIGA OS APARELHOS !!!
      DESCREDENCIA ESSE LIXO PFV !!!!!!!!!!!!!!!!!!!! TNC

      Excluir
  3. Outro burro....

    nossa a burrice é igual a um vírus mesmo....se espalha rápido!

    ResponderExcluir
  4. Descredenciamento é a pior soluçao para todos !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existe a necessidade de cada curso criar um canal de comunicação com seus alunos.

      Excluir
  5. Publicado no Dia Online em 8/1/14. Acionei o MP. Sugiro que façam o mesmo
    08/01/2014 00:30:17
    A escolhida

    Secretaria Municipal de Saúde vai contratar, por R$ 108 milhões, a Organização Social (OS) Ação MedVida, instituição não foi aceita pela Secretaria Estadual de Saúde em 2012

    Fernando Molica
    Rio - A Secretaria Municipal de Saúde vai contratar, por R$ 108 milhões, a Organização Social (OS) Ação MedVida — a instituição não foi aceita pela Secretaria Estadual de Saúde e, em novembro de 2012, teve um contrato rompido pela Prefeitura de Maricá.

    Um dos fundadores da MedVida é o pastor Adenor Gonçalves dos Santos, controlador do Grupo Galileo Educacional, dono da Universidade Gama Filho e da UniverCidade, que passam por uma longa crise. O site do MedVida traz livros e artigos do empresário.

    Informações

    Com base na Lei de Acesso à Informação, o vereador Paulo Pinheiro (Psol) protocolou na Prefeitura do Rio pedido de esclarecimentos sobre a contratação da MedVida, sua ligação com o Galileo e sua atuação em Maricá.

    Chamamento

    Vencedora de um chamamento público feito pela Prefeitura do Rio, a MedVida vai gerenciar, por dois anos, 125 leitos no antigo Hospital São Bernardo, na Barra, depois transformado em hospital da Gama Filho.

    Sistema de saúde

    Em março de 2012, a Secretaria Municipal de Saúde incluiu o hospital da UGF no seu sistema de saúde. O projeto não foi adiante.

    Experiência

    Para comprovar experiência em serviços públicos de saúde e ser homologada como OS no Rio (o que ocorreria em julho de 2012), a MedVida citou o trabalho em Maricá.

    Desastre

    Mas a experiência foi desastrosa: o contrato acabou rompido por falta de prestação de contas e atrasos no pagamento de funcionários. A prefeitura criou comissão para apurar danos aos cofres públicos. Há suspeita de desvio de equipamentos.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Num país sério esse pilantra já estava preso.

    ResponderExcluir